O peeling químico é uma técnica usada para melhorar a aparência da pele. Uma solução química é aplicada na pele, provocando uma descamação e o surgimento de uma nova pele, mais lisa e menos enrugada que a pele antiga. E ela ainda pode ser igualada na cor.

Aplicação de substâncias químicas, ácidas sobre a pele, tem como objetivo de remover as camadas externas danificadas da pele e estimular a renovação celular. Os peelings podem ser superficiais, médios e profundos dependendo da substância utilizada.

A pele é limpa com um agente que remove os excessos de oleosidade. Uma ou mais soluções químicas são aplicadas como:

- Ácido retinóico;
- Ácido mandélico;
- Ácido glicólico;
- Ácido salicílico;
- Resorcina;
- Jessner;
- Gluconolactona, entre outros.

Geralmente são realizadas mais de uma sessão de peeling químico. Outros procedimentos que beneficiam o tratamento podem estar aliados. O peeling de diamantes é um deles. Com uma avaliação específica da pele, é escolhido o ácido a ser usado e algum outro procedimento para intensificar o tratamento. Sempre é bom lembrar que o tratamento domiciliar é muito importante para manter a pele limpa e saudável.

O peeling químico é usado para tratar rugas finas, especialmente na região periocular (ao redor dos olhos) e em volta da boca. As rugas causadas pelo sol, idade e fatores hereditários podem ser reduzidas ou mesmo eliminadas por este procedimento. As depressões, saliências e rugas mais profundas podem não responder com o peeling e podem necessitar de outros procedimentos clínicos cosméticos ou cirúrgicos.

Cicatrizes leves e acne também podem ser tratadas com o peeling químico. Além disso, a hiperpigmentação da pele na forma de:
- Manchas de sol;
- Manchas causadas pela gestação;
- Manchas senil;
- Sardas;
- Manchas causadas por uso ou alterações hormonais;
- Pele sem brilho e espessa.

Vídeo explicativo sobre o procedimento:
https://www.youtube.com/watch?v=mez3fW5BEN0